Tipos de Café – Arábica e Robusta (Conilon)

Existem dois tipos de planta de café: Arábica e Robusta (Conilon).

Todos os tipos de café podem produzir excelentes Cafés Gourmets.

Normalmente, as principais marcas de café, preferem compor seus blends com variedades de café Arábica, por serem mais doces e mais “elegantes”.

O café Robusta tende a produzir cafés mais encorpados, com notas achocolatadas, também muito agradáveis ao paladar.

Devido à sua característica genética, grãos de arábica apresentam uma rica gama de notas de aroma e sabor, conferindo, ainda mais, a condição de “Produto de Terroir”. Fatores como clima, posição geográfica e variedades empregadas, além do manejo feito pelo produtor, são decisivos na tipificação do produto. Simplesmente, cada grão de uma mesma variedade pode se expressar sensorialmente de forma diferente em cada origem.

Café Arábica

Café Arábica

Café Conilon

Café Robusta

Cafe-Arabica-e-Robusta

 

Características do café Arábica

Existem muitas variedades da planta de café Arábica,cada uma com sua característica de aroma e sabor, as mais comuns são: Bourbon, Catuaí, Acaiá e Mundo Novo. E, dentre essas variedades, existem também várias subvariedades: Bourbon Amarelo e Vermelho, Catuaí Amarelo e Vermelho, variedades de Mundo Novo, etc. Abaixo as características de algumas das principais variedades.

Café tipo Bourbon

Características de sabor deste café: É considerada uma das melhores variedades para produção de cafés gourmet. Seu aroma intenso, suavidade, textura achocolatada e sabor adocicado conferem características únicas. Porém, vale lembrar que solo, clima, altitude e processos de secagem são fundamentais para maximizar todas essas características.

Características da variedade deste café: As plantas atingem até 3 metros de altura apresentando um formato cilíndrico. Os frutos têm o mesmo formato do café comum, porém, com um tamanho reduzido. Sua produtividade é inferior quando comparadas às demais variedades comerciais. É muito susceptível a pragas e doenças.

Café tipo Catuaí

Características de sabor deste café: É um café leve e suave com acidez média. Um dos poucos que se pode tomar sem açúcar. Plantado em altitudes mais altas proporcionam um sabor mais acentuado, permitindo ao grão de café absorver com maior intensidade os açúcares naturais durante seu processo de maturação. Por isso, plantações em altitude acima de 1.000 metros apresentam os melhores sabores. O Catuaí amarelo é menos encorpado do que o vermelho. Portanto, dependendo do sabor almejado um blend que inclua ambos pode ser mais satisfatório.

Características da variedade deste café: Os cultivos de café Catuaí Vermelho e Catuaí Amarelo têm sido os preferidos dos produtores brasileiros, ocupando uma grande parte do parque cafeeiro da maioria das regiões produtoras. Elas apresentam as vantagens do porte baixo da planta, o que facilita os tratos e a colheita. Também apresentam menores prejuízos pelo ataque de ferrugem, um fungo bastante comum em plantas de café arábica. O Catuaí, que significa “muito bom”, faz jus ao nome, por ser bem rústico. Adapta-se muito bem em temperaturas médias, na faixa de 18 – 22º C, encontradas em terras elevadas acima de 800 m de altitude.

Café tipo Mundo Novo

Características da variedade  deste café: Os frutos apresentam boa uniformidade de maturação em razão das 3 floradas. Com a primeira produzindo 10%, a segunda 80% e a última 10%. Isso propicia um café de ótima qualidade, devido ao baixo porcentual de grãos verdes obtidos na colheita.

 

 

Característica do Café Robusta

A bebida que se obtém depois da torra do ‘Robusta’ é caracterizada por ter mais corpo e gosto achocolatado com sabor persistente.

Existem diferenças também quanto ao teor de sólidos solúveis encontrados nos grãos de robusta, muito maior do que nos de Arábica, o que explica, em parte, a maior percepção de corpo. Também, os grãos apresentam menor acidez do que os grãos de arábica, assim como o teor total de açúcares.

Os grãos de robusta nem sempre receberam a mesma atenção quanto ao manejo como os de arábica, talvez pelo pre-julgamento que sempre se fez quanto às suas características sensoriais. Devido à sua condição de “primo pobre”, o tratamento dispensado pelos produtores durante a colheita e secagem usualmente sempre foi muito pouco cuidadoso.

Porém, recentemente essa regra começou a se modificar. Por exemplo, vem da Índia, da região de Karnatka o robusta mais valorizado do mercado, cujo preparo tem requintes de cuidados a ponto de o produto ter apresentação e presença na xícara considerados impecáveis. Também no Brasil alguns produtores vêm desenvolvendo técnicas de preparo e secagem com maior atenção, resultando em grãos de melhor qualidade.

 

 

 

Anúncios

Como Avaliar um Café Gourmet – Características do Café

Para o apreciador de café gourmet, as características mais importantes da bebida são: corpo, aroma, acidez, doçura e amargor.

Corpo. É uma sensação causada na boca pela persistência no paladar. Um café gourmet pode ter corpo leve, médio ou encorpado, dependendo da variedade ou do blend. Quanto mais “viscoso” e “pesado” na boca, maior o corpo, quanto mais “leve” e “delicado” menos corpo.  O corpo do café será mais leve quando a torra for clara, ficando mais encorpado para pontos de torra mais escuros.

Aroma. São os elementos perceptíveis através do olfato. Alguns tipos de aroma são: florado, cítrico, achocolatado, frutado. Cafés gourmet finos têm aroma pronunciado, e maior acidez permite maior percepção do aroma.

Acidez. É a sensação obtida na parte lateral da língua. O ponto de torra tem uma influência muito importante na acidez do café. Qualquer que seja a acidez que um café gourmet naturalmente tenha, esta será maximizada quanto mais clara for a torra. Inversamente, quanto mais escura for a torra menor será a acidez. Acidez fresca e cítrica é desejável e traz vida ao café. Já um sabor azedo é indesejável e geralmente resultado de grãos colhidos verdes ou com defeito.

Cafes

Doçura. Percebida na ponta da língua, a doçura de um café gourmet pode oscilar entre nula, baixa e alta. A doçura vem de grãos maduros e da caramelização no processo de torra. Os cafés gourmet mais finos normalmente apresentam uma doçura mais acentuada, trazem notas de caramelo, mel ou chocolate e permitem que sejam bebidos sem adição de açúcar. Já os cafés preparados com excesso de grãos verdes, pretos ou ardidos apresentam doçura baixa ou nula.

Finalização ou Persistência.  É o sabor que permanece na boca após a degustação da bebida. Para cafés gourmet mais encorpados este sabor lembra um chocolate meio amargo, enquanto que para cafés mais suaves e ácidos a finalização pode ser mais rápida e lembrar frutas cítricas. O importante é que tanto para um café gourmet mais achocolatado quanto para um mais frutado o sabor final na boca deve ser agradável, delicado e prazeroso.

Amargor. Sensação obtida no meio da língua e na garganta, é o gosto produzido pela cafeína. Costuma ser leve ou equilibrado nos cafés gourmet de melhor qualidade. Amargor forte ou muito forte são provenientes de uma torra muito acentuada (escura), de um tempo excessivo de contato da água com o pó de café (moagem fina), ou de cafés de qualidade inferior.